×

Corrigir

Tambor

Rixxa

Canto uma herança
Da humanidade primordial
De árvores tombadas um tom grave
Deu a cadência original
A idéia de um gênio anônimo,
Meu ancestral
Caçador que na mata uma fera enfrentou
Quando sua vitória quis anunciar
Pôs o couro esticado, bateu, repicou

Festa na aldeia,
Lua cheia, um clarão
Tem batuque a noite inteira
É magia, adoração
De ocidente a oriente
Em diferentes formas se multiplicou
Qual é o povo
Que não bate o seu tambor.

Quem cruzou o mar
Encontrou um som guerreiro
E desde então o baticum não quer parar
Zambê, zabumba, ilu-abá,
Angoma, tumba, candongueiro,
Batá-cotô no meu terreiro
Põe na roda o tambozeiro
O brasil nasceu de mim
Inclusão, cidadania,
Furiosa bateria
Coração que bate assim.

Menina, quem foi teu mestre?
Um batuqueiro
Que arrastava
O povo do salgueiro

Composição: Edgar Filho / Simas / Beto Mussa / Gari Sorriso / Bené do Salgueiro


Veja também



Mais tocadas

Ouvir Rixxa Ouvir