×

Corrigir

Ritual Madrugadeiro

Eu trago entre as linhas de verso campeiro
Ritual madrugadeiro de estancia executa
A imagem d apmapa silente e sombria
Parindo outro dia de lida e labuta.
A coruja mergulha da ponta da trama
E a geada que é a cama no campo do posto
No pé da macega deu cria tambeira
Lambe a terneira apojando o colostro
O baio amanhece com gelo nas crina
Que a bruxas teatinas andaram transando
No vidro do açude uma garça se mira
Embaixo as trairas madrugam caçando

Com réstias de estrelas a pampa desperta
Coiceando a coberta pra mais um embarque
Enquanto um piazito volteia as encilhas
A indiada caudilha se encharca de mate.

Pachola entre os galhos da velha figueira
Viagiado a parceira o cardeal faz palhada
Da guarita do oitão o fiel ovelheiro
Da um pé na três pelo que vem da caçada
Da ceu a boeira em luzente mirada
Alumbra a morada dos desuses rurais
Ca em baixo um galito abre o peito na guincha
E um potro relincha chamando os demais
Festejam os cuscos ao abrir o galpão
E um guacho pidão sai dos pés do caseiro
As mansas se achegam mugindo em acordoado
Enquanto a terneirada entesem o berreiro


Veja também



Mais tocadas

Ouvir Xiru Missioneiro Ouvir